Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2010

Waterloo

E a boa parte, de longe a melhor, é que Jean-Michel era meio tubérculo, meio felino. Em Paris e Marselha até lhe chamavam nabo-leão.

A árvore enquanto jovem

Esforça-se por ganhar raízes, mas sente-se só. Invariavelmente só. É jovem, é certo, mas nem a seiva, bruta e cada vez mais resinosa, lhe vale. Muito pior: desgosta-a, e desgasta-a, ter de viver sempre em tronco nu.

Comércio bilingu(ü)e

Márcio vendia os seus óculos, lentes e armações apenas com o poder da mente. Como por milagre: em Belo Horizonte já lhe chamavam "O Psico-Lojista".

Durante una década Evo tuvo la tienda más famosa de Gran Vía, casi en Callao. Un exito tremendo entre los más jóvenes: muchos niños jamás habian visto un amerindio de verdad.

Why Estonia never stops surprising me

By João Lopes Marques (Eesti keeles)

At first I didn’t understand: “Estonia’s International Friends Meeting.” If the emailed PDF letter hadn’t been signed by the President, Toomas Hendrik Ilves, and businessman Margus Reinsalu I would have never believed it. It was the first time I was receiving a letter of protocol via Internet...

“Why the hell are they inviting me to such an event?”, I questioned myself. Still suspicious of a hoax, I asked my colleagues in "Eesti Ekspress". "Do you know something about this?" Well, nobody knew, as if it were a well-kept secret. Publicity wasn't a priority.

I understand such initiatives are not that popular in times of crisis. Tax-payers are suspicious of any potentially irresponsible spending of their money and this “Estonia’s International Friends Meeting” was anything but conventional. Yet it seemed to me that everyone shared the burden: private players invested, Estonian institutions contributed, and participants paid for …

Sumo

Proeza, proeza, conseguiu-a Hotaka. Tornou-se ozeki aos 16 anos sem nunca ter espremido uma laranja na vida (ou limão).

To feel guilty or not

By João Lopes Marques (Eesti keeles)

"Would I go for abortion?" "Will I pay for the scratch I inflicted in the gray Volkswagen while parking?" "Would I return back the wallet I found in Viru Keskus?" "Shall I tell mamma I am dating a Russian boy?"

That's unavoidable: moral dilemmas tend to consume lots of our time and energy. Everyday we have to negotiate with ourselves small decisions that trigger friction in our brains. If we except pathological criminals and some fools, every soul with basic principles holds an ethical dimension.

We all live in fear of moral failure: not a coincidence that Greek philosopher Plato dedicated part of his life theorizing about that. Great. However, most situations we reflect about happen to be too abstract. Usually, the most embarrassing moments occur when we don't expect them. Worse: they are exactly the very same ones we had never considered.

Before I share with you my embarrassing story — a benign on…

Eh, toro!

Bem lhe gritaram. Acenaram. Provocaram. Espicaçaram. Insinuaram. Mas nem por uma única vez aquele pequeno cepo esboçou reacção.

No way

Não tentem. Mas estas são as proezas de que o meu novo amigo Idar Vollvik é capaz. Talvez por isso lhe chame "Mr. Ludo".

Kadriorg

Well, a very Estonian day...

Dos quentes e dos frios

Consta já do livro sagrado dos partos, embora tenham sido os frígios quem investiu sentido à máxima, que se mantém bastante actual: "E assim como as almas frias e reservadas no Inverno penarão, as mais gentis e calorosas o Paraíso verão."

Éne motivos

No preciso dia em que cumpriu quatro décadas, Mauro decidiu deixar de pensar. Estava fartinho. Nada como dispensar aquele éne maldito: seria muitíssimo mais divertido começar a pesar.

Papeladas

Lá ao fundo, qual miragem, alguém lhe acenava com um papel bonito. Gustav limpou as gotas de suor e não conseguiu esconder a baralhação. Hesitação: fosse mesmo verdade, havia de o rabiscar com coloridas canetas de feltro ou, ao invés, representá-lo com toda a sua devoção?

Curiosidades do Planeta Tormeteus

Na riquísisma, e vívida, paleta de cores de Tormeteus, grinzel é uma cor fugidia, algures entre o amarelo torrado e o verde clarinho. Talvez por isso os seus habitantes se dividam ainda hoje em três grandes facções: os que insistem tratar-se mesmo de frilal; os que categoricamente advogam ser xambrilium; e os lúcidos que não têm qualquer dificuldade em perceber que é grinzel, apenas grinzel e nada mais do que grinzel. Paradoxalmente, e porque Tormeteus é um desses planetas injustos, continuam estes últimos a ser perseguidos e viperinamente apodados de "vesgúnios", étimo equiparável ao nosso "daltónicos", numa tradução mais livre.

Vodka

"Errado é afirmarem que a Rússia não está habituada a temperaturas de 40 graus", sublinhou o sábio Vladimir, logo acrescentando na passada: "A grande diferença é que antes eram apenas servidas numa garrafa!"

Eu e tu, lembras-te?

Ele partiu, eu fiquei. Ou terá sido o contrário? Certo é que não havia muito mais a fazer. Dizer. Fiz questão de falar à índio e, mesmo com muita pena nossa, era ali que nos descruzávamos, ou deveríamos: "Tu, rismo; eu, tanásia!" E assim vi partir o meu querido e a sua camisa de coqueiros enquanto no meu doce leito me deixei amortecer feliz.

Negligência

Tentando libertar-se dos dejectos, os líquidos e os outros, Jacob carregou no que pensou ser um autoclismo. Era branquinho e com um botão cinza metalizado, muito redondinho até. Não obstante, toda a distracção tem um preço. E aquele autocataclismo continua a provocar inundações imensas. Trágicas.

Estonia and Slovenia: half-sisters?

By João Lopes Marques (Eesti keeles)

"Tallinn is like Prague after the neutron bomb!" This funny and simplistic joke invented by my Dutch friend Thomas has proved quite popular among my Estonian network. We don't need an hermeneutical exercise to conclude locals tend to agree Prague shares lots of things with the capital of Estonia.

Yet today I decided to upgrade the challenge. The question: "What is the most similar country with Estonia?" A tough one, isn't it? Is it Czech Republic? Truth to tell, in my mind it has been clear for years.

Slovenia, of course.

"How come Slovenia has to do with Estonia?", you may ask. Well, the Germanic influence in the last thousand years. This is undeniable. Just visit Ljubljana: it's center is different, but the spirit reminds Old Tallinn's. Those are cities originally designed with human scale. The local castle it's a kind of Toompea and the only big difference would be the river Ljublianica.

You can …

Elefante ou talvez não

É conhecido o fascínio humano por baleias e paquidermes. Coisas grandes. Por vezes vemo-las nos locais mais inesperados. Uma mancha no chão pode muito bem ser um elefante. As suas orelhas e tromba são inconfundíveis... Mas neste caso até tenho dúvidas: será um coração? O mapa tosco do Brasil? Um esquisso de África? Ou... ou...