sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Montanha russa

Sasha obrigou-nos a beber a garrafa até à última gota. Porque Svetlana odeia vodka, desatámos a correr por ali abaixo. Só não esperávamos esbarrar em Ruslan, ameaçou-nos com a arma do costume. Ainda consegui fugir montanha acima. Felizmente que tropeçaria no Lada vermelho de Dmitriy, que de imediato deu meia-volta. Acelerámos montanha abaixo o mais que pudemos. Caramba, como é que me esqueci de Svetlana?

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

HQ

Sim. Klaus sentiu muita sede. Todo ele era sede. Uma desesperante sede. As suas pernas, cadeiras. Os seus cotovelos, secretárias. Os seus pêlos, piaçabas. As suas pálpebras, fotocopiadoras. Os seus joelhos, livros de actas. As suas mãos, a máquina automática de café situada em frente à porta giratória de entrada onde phica o ponto e a recepção com a simpaticíssima menina Solveig. Sede, portanto. Ou talvez não: quiçá Klaus estivesse antes com muita fomeca.

Bianca

O seu sorriso andava diferente. Mudara. Há semanas que não levava os dentes.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.